I Love Brides

Ah, o Dia dos Namorados!

Breve História

O Dia dos Namorados (ou Dia de São Valentim) é celebrado, todos os anos, no dia 14 de fevereiro (em quase todos os países).

Flores, chocolates, joias e objetos super-hiper-mega românticos são as escolhas mais comuns dos apaixonados no momento de oferecerem something special à sua cara-metade.

Mas e se, em vez disso, a sujassem com pele de cabra manchada de sangue? Macabro, não? As mulheres da Roma Antiga discordariam, veemente, do uso desta palavra.

Leia o nosso artigo e saiba tudo o que há para saber sobre o dia mais romântico do ano.

 

Nick Fewings

 

 

São Valentim = Amor ?

 

Em Portugal é mais comum ouvir-se a denominação “Dia dos Namorados” do que “Dia de São Valentim”, ainda assim, esta última designação também é utilizada em terras lusas.

Nos Estados Unidos da América, a expressão utilizada é “Valentine’s Day” (ou "St. Valentine’s Day").

Quer digamos o nome em português, quer o pronunciemos em inglês, duas questões mantêm-se: quem era este São Valentim e porque é que o associamos à celebração do Amor?

 

Carly Rae Hobbins

Petar Kujundzic - REUTERS 

 

Segundo fontes históricas, a Igreja Católica reconhece inúmeros santos chamados Valentim.

A lenda mais comun, relacionada com este Santo do Amor, remonta ao século III d.C e a ação desenrola-se na Roma Antiga.

De acordo com a história, o Imperador Cláudio II concluiu que os homens solteiros eram melhores soldados do que aqueles com mulher e filhos. Como forma de reforçar o exército romano, o Imperador criou uma lei que proíbia que os homens jovens se cassassem.

 

Pinterest

 

Valentim, um padre cristão, ao perceber o quão injusta era essa lei, não obedeceu ao decreto imperial e continuou a celebrar casamentos entre jovens apaixonados.

Assim que o Imperador descobriu as práticas “ilegais” deste padre sentenciou-o à morte.

 

Outra lenda sugere que o São Valentim que associamos ao Amor era um prisioneiro do Império Romano que se apaixonou pela filha do seu carcereiro.

Segundo a narrativa, este Valentim, antes de morrer, escreveu uma carta a declarar o seu amor pela jovem, terminando o texto com a expressão “Do teu Valentim” (uma expressão bastante utilizada nos EUA: “From your Valentine”).

Getty Images

 

Apesar de as histórias relativas à verdadeira identidade deste Santo serem várias e variadas, é possível afirmar que todas elas apresentam uma figura bastante romântica e, até mesmo, heróica. Esta característica tornou o São Valentim num Santo bastante popular na Idade Média.

 

 

Por causa dos pássaros...

 

Falando agora na questão temporal...

O motivo pelo qual o Dia dos Namorados é celebrado em fevereiro deve-se ao facto de ter sido este o mês em que se acredita que São Valentim tenha morrido.

Outra teoria aponta como motivo principal a tentativa (que obteve resultados) da Igreja Católica em cristianizar a Lupercalia – uma celebração pagã que ocorria no dia 15 de fevereiro, na Roma Antiga, e que consistia no sacrifício de uma cabra (símbolo da fertilidade) e de um cão (símbolo da pureza); durante esta festa, a pele da cabra era mergulhada no sangue sacrificial e, posteriormente, utilizada para “marcar” a cara das mulheres romanas, uma vez que existia a crença de que esse gesto as tornava mais férteis.

Mais tarde, nesse mesmo dia, as mulheres solteiras colocavam o seu nome numa urna; esses nomes eram sorteados entre os homens solteiros, formando-se vários pares que deveriam de ficar juntos ao longo de todo o ano (normalmente este emparelhamento resultava em casamento).

 

Wikimedia

 

No século V d.C, o Papa Gelásio I declarou o dia 14 de fevereiro como o Dia de São Valentim. No entanto, só muito mais tarde (na Idade Média) é que este dia começou a ser associado ao Amor.

 

Na Idade Média, acreditava-se que o dia 14 de fevereiro era o dia que marcava o início da época de acasalamento dos pássaros.

Este pensamento reforçou a ideia de que o dia 14 de fevereiro estava intrinsecamente ligado ao Amor e ao romance.

O poeta inglês, Geoffrey Chaucer, foi o primeiro a colocar por escrito essa mesma ideia.

Fabrizio Verrecchia

 

 

Cartas e Cartões

 

A partir da Idade Média, as declarações de São Valentim tornaram-se comuns. Ainda assim, apenas no início do século XV é que começaram a surgir as primeiras cartas de São Valentim.

A carta mais antiga de que há registo é um poema escrito em 1415, pelo Duque de Orléans, dirigida à sua esposa, enquanto estava preso na Torre de Londres, como consequência da sua captura na Batalha de Azincourt (ocorrida na Guerra dos Cem Anos (Inglaterra vs França)).

 

Na Grã-Bretanha, o Dia de São Valentim passou a ser popular por volta do século XVIII, sendo comum os apaixonados, de todas as classes sociais, oferecerem pequenos presentes e manuscritos à pessoa amada.

Getty Images

 

No século XX, os cartões impressos começaram a substituir as cartas manuscritas. Estes cartões eram uma maneira mais fácil de as pessoas declararem os seus sentimentos, de uma forma direta, numa época em que a expressão franca e sem rodeios dos sentimentos era desencorajada; o preço barato destes cartões também contribuiu para a sua popularidade e propagação.

 

Getty Images

Lake County Museum - CORBIS

 

A Greeting Card Association (Associação Comercial da Indústria de Cartões Comemorativos do Reino Unido) estima que são enviados, todos os anos, cerca de 145 milhões de cartões de São Valentim; este número coloca os cartões de São Valentim no segundo lugar da lista de cartões comemorativos mais enviados (sendo, apenas, superados pelos cartões de Natal).

 

Getty Images

Segundo a Greeting Card Association, 85% das compras relativas aos cartões de São Valentim são feitas por mulheres.

 

 

 

Where is the Love?

Bazuki Muhammad - REUTERS

 

Apesar de ser mundialmente popular, existem vários países onde o Dia de São Valentim não é festejado (sendo, em alguns, proíbido).

A Indonésia, a Arábia Saudita, a Malásia e o Paquistão são alguns dos países que não celebram o Dia dos Namorados, visto que, segundo os seus habitantes, esta festa contraria vários aspetos e preceitos religiosos.

 

Faking News

Juni Kriswanto - AFP

 

Existem, ainda, casos de países que não festejam esta data, não por motivos religiosos, mas sim por razões políticas, como, por exemplo, a Índia que, devido aos partidos mais conservadores que estão no poder, se recusa a celebrar o Dia de São Valentim. Segundo estes partidos políticos, a celebração deste dia promove os valores ocidentais, contrariando a cultura e religião indiana.

 

REUTERS

 

No ano de 1929, em Chicago (EUA), o Dia de São Valentim ficou marcado por um acontecimento criminoso conhecido como “O Massacre de São Valentim”.

Segundo os registos da época, na manhã do dia 14 de fevereiro de 1929, um grupo de homens com metralhadoras (calibre 12) saiu de um Cadillac preto, entrou numa garagem pertencente à SMC Cartage Company e alinhou contra a parede sete pessoas, alvejando-as até à morte.

 

Chicago History Museum - Getty Images

 

The Mob Museum

Este foi, e ainda é, um dos mais famosos crimes por resolver na História dos Estados Unidos da América, apesar de muitos acreditarem ter sido cometido pelo líder da máfia americana mais conhecido em todo o mundo, Al Capone.

 

 

Sugestão I LOVE Brides

 

Devido à abundância de santos com o nome Valentim é possível celebrar o Dia de São Valentim, não apenas uma vez, mas várias vezes por ano.

Que tal celebrar o dia de São Valentim, também, no dia 25 de julho? Desta forma estará a homenagear não “o” São Valentim, mas sim “a” São Valentim (ou Santa Valentina). Que lhe parece?